Passeio á Povoa para ver as sereias.

Próxima saída domingo 26 de março pelas 8,30 na Paluse,

domingo, 10 de janeiro de 2010

LET IT SNOW! LET IT SNOW! LET IT SNOW! COM O NUNO RIBEIRO

Há relatos premeditados porque são sobre passeios, programados, invulgares e existem os que acontecem porque as várias situações vividas ao longo de um determinado passeio tornam-se, para nós, dignas de serem relatadas. Então este faz parte da segunda categoria.
Assim lá saímos da nossa sede às 8h40 sem os nossos caros colegas de bicla o
Tenor, não sabemos o motivo ( nem ele precisa de o dizer) e o Quercus Man que não pode alinhar nesta aventura devido a um problema mecânico da ginga.
Devido ao gelo sentido nas primeiras pedaladas nenhum membro do grupo tinha a mínima ideia por onde ir. Assim o
Batedor preconizou uma mudança de direcção à habitual, ou seja apontámos as rodas dianteiras para a zona de Santo Tirso. A ideia era percorrer uns trilhos pelo Vale do Leça que ele conhece. Sem os nossos inseparáveis amigos da bicla ouvir disse ao Batedor " Com jeitinho vai ser hoje que vamos levar o Presidente à Assunção!!!" Ao que ele retorquiu com um sorriso condescendente. Rapidamente chegámos à cidade dos Jesuitas e apanhámos a Variante à EN105 até virarmos para Reguenga passando pelo restaurante " Adega do Rodrigo".



A partir daí fomos confrontados com aquilo que ia ser o grande motivo deste relato...
NEVE!!! Começou serenamente a cair em forma de flocos pouco consistentes até engrossar ao ponto de dificultar a visibilidade. Parámos debaixo da A42, num túnel ao abrigo dos flocos, para lanchar porque o frio, o vento e a dura subida desde Santo Tirso até à Seroa desgastaram-nos um pouco. O cenário era fantástico.



Montámos as nossas burras e chegámos todos a conclusão que a direcção a tomar seria a da
Assunção via o Monte Pilar. Entretanto parámos no café para aquecer um pouco com o tão famigerado e indispensável café.
A partir daí é que a água em estado mais sólido nunca mais parou até a Assunção. Perdidos fomos dar a uma rotunda onde colegas de ginga estavam a tentar tirar uma foto de "família" ao que nos propomos de imediato a tirá-la. Depois de gravar na memória do Tlm de um desses colegas de duas rodas reparei que um dos bttistas não era nem mais nem menos do que o
NUNO RIBEIRO...É verdade! o vencedor da última Volta a Portugal estava connosco. Esse grupo numeroso apercebeu-se que estávamos transviados e prontamente indicaram-nos o caminho a seguir.




Na nossa caminhada passámos por trilhos bem engraçados e difíceis devido ao terreno escorregadio e lamacento provocado pela neve aí depositada.




Chegados a um cruzamento encontrámos um outro grupo, menos numeroso, a quem perguntámos o nosso caminho.Aqui tenho de fazer um pequeno aparte. É engraçado que quando pedimos o nosso caminho a uma pessoa sozinha ela de tanto querer explicar acaba sempre por nos confundir... do género:
" Vai chegar a um cruzamento...não vira à direita! Vira à esquerda..." e insiste " Não se esqueça! não vira a direita!..." Tenho ou não razão?...Mas o pior é quando são muitos. Pedir a direcção a um grupo é melhor não pedir!!!!...Ninguém se entende...uns dizem é à direita, outros dizem é à esquerda e há os que nem dali são mas que gostam de dizer que já lá foram...Enfim!
O que nos salvou foi o aparecimento do grupo do Nuno Ribeiro. O "
Ás das Duas Rodas" com a sua gentileza, prontamente, e sem dúvidas disse-nos " Sigam-nos...vamos levar vos até lá..." E assim foi! No início ainda acompanhei o Nuno Ribeiro na frente do pelotão mas rapidamente apercebi-me que os restantes BiKenaTuRaS iam na cauda do mesmo e então parei para incorporar o meu "pelotão". Durante o quilómetro e meio ( mais ou menos) que tivemos a honra de partilhar o rodado e as pegadas, sim porque tivemos de empurrar as burras ao longo de uma subida lamacenta, deste tão ilustre ciclista chegámos à fábrica do IKEA.






Aí o Nuno Ribeiro fez questão de nos indicar o caminho a seguir e de se despedir com um aceno bem visível visto que eles iam para Paredes. Isto é que é ter classe!...O Nuno Ribeiro e Cª fizeram um desvio para nos mostrar o caminho... Fica aqui os meus sinceros agradecimentos a este
SENHOR que para além de ser um excelente ciclista mostrou ser uma pessoa simples e não menosprezar singelos ciclistas como nós. Bem Haja NUNO RIBEIRO...
Rumámos ao Monte Pilar e foi a partir daqui que a neve intensificou a sua
"carga" fazendo de nós uns, quase, " Bonecos de Neve".




Chegamos ao sítio onde a estrada bifurca. À esquerda sobe para o Monte Pilar e à direita desce para Monte Córdova. Como já era impossível subir seja o que fosse só restava a hipótese de descer. Esta hipótese era também muito arriscada, mas a única possível, porque era uma descida com 2 kms muito perigosos devido à inclinação que nos fez atingir mais de 70 km/h a bem pouco tempo ( ler relato " Os Salteadores dos Castanheiros" no arquivo de Novembro). Este meu pressentimento passou à prática quando senti a minha bicla deslizar para a esquerda e...la fui eu provar a neve! Pior foi mais à frente um carro que deslizando bateu noutro que vinha em sentido contrário. Foi só chapa mas é sempre aborrecido. Devagar, devagarinho lá chegámos a Monte Córdova onde parámos para comunicar aos nossos familiares que o almoço só poderia ser servido depois das 13h30. Aqui tirámos algumas fotos para comprovar o transporte da neve.




Montámos as biclas e dirigímo-nos à Assunção onde a neve alegrava os peregrinos.




Daí até Burgães...AI MEU DEUS! QUE GELO! ... Eu e o
Batedor bem tentámos convencer o Presidente e o Wolf descer pelos trilhos mas não aceitaram a nossa sugestão. Enfim! Enquanto a plebe não tiver voto na matéria...hehehe! "Regelados" iniciámos a última subida até Bairro com alguma dificuldade visto que os músculos estavam como pedra mas lá chegámos com um sorriso de orelha a orelha.






E pronto, mais uma aventura invulgar num Domingo também ele incomum. Os 4 BiKenaTuRaS viveram uma aventura que não sabem se mais alguma vez a irão viver porque a neve pode não regressar tão cedo. No entanto foi pena os ausentes não desfrutar deste passeio que irá certamente perdurar nas nossas mentes por muitos e bons anos.

O Scriba
As gingas rolaram 44 kms em 3h42

Sem comentários: