Passeio á Povoa para ver as sereias.

Próxima saída domingo 19 de novembro pelas 8,30 na Paluse

domingo, 17 de julho de 2011

S. BENTO DAS PERAS II



Desta feita, o nosso batedor não optou por visitar uma SENHORA santa mas sim um SANTO.
Decidiu e está decidido!
Para rumar a S. Bentinho das Peras estavam presentes no local do costume os 8 BiKeNaTuRaS habituais.
Saímos em direção a Riba de Ave conforme informava o GARMIN e que, com alguma desorientação no alto de Lordelo, nos enviou para a eis designada ETRSU (Estação de Tratamento de Resíduos Sólidos Urbanos).                                          
Penso que seriam os odores daqui libertados que descontrolou, por momentos, o nosso GPS, porque após experimentarmos várias entradas de possíveis trilhos, nenhum deles permitiam saída. Não fora o conhecimento pleno da região do nosso verdadeiro batedor e o Garmin teria sido reciclado.

Finalmente atinou e seguimos por alguma ruas de Guardizela antes de entramos num caminho rural que nos levaria à E.N. 105.
A partir daqui perdemos o nosso Skriba que, por razões de força maior (Imaginem!... tinha que partir para férias, coitado!!!)não nos podia acompanhar mais.
S. Bentinho esperava por nós e depois do Querqus atestar os pneus da sua bomba???!!!, seguimos para Infias.
Encetamos a subida que todos já conhecíamos, à excepção de Riones, penso, pelo lado norte tal como já o tínhamos feito da última vez.

Foi muito penoso. E para agravar a situação o dia era de festa para aqueles lados e eram muitos os peregrinos e romeiros que se cruzavam connosco e me demoviam a ideia de me apear e descansar um pouco. Ainda por cima, não levei a minha PENTAX que me permitiria uma pausa para tirar umas fotos. Só mesmo uma contingência de percurso me poderia aliviar. Por azar (deles) houve um turista que ao descer ou a subir, não sei, tentou prescindir das quatro rodas do seu todo/terreno e virou. Claro, tinha que parar para me inteirar da situação. Ainda bem que não foi nada de grave e a ajuda estava chegar.
Recuperado o fôlego, e porque os restantes BiKeNaTuRaS já estariam quase ao pé do Santo, retomei o empeno.
Um último esforço e vi que já estava a chegar, pois a azáfama de pessoas de um lado para outro era grande como há muito tempo já não via. A partir daqui já não era possível biclar mais, tal era a concentração de pessoas.

Depois de darmos um pequeno passeio apeados pelo recinto e de lancharmos junto aos miradouros iniciamos a descida pelo lado sul do monte.

Alguns desencontros foram verificados na descida o que nos levou a pensar numa melhor coordenação do grupo para que a sua coesão nunca seja posta em causa, como é nosso apanágio.
De lá até aqui, nada de especial a registar a não ser uma pequena paragem em Moreira de Cónegos para apreciarmos uma feira de bicicletas e o reencontro com o nosso Skriba que se preparava para partir.
                                                                                                                El Presidente.
Foram "pereirados" 41 km.


Os BiKeNaTuRaS:
 e 

1 comentário:

Belcoe disse...

É a segunda vez que visitámos o São Bento das Pêras e, coincidência ou não, os dois relatos foram escritos pelo El Presidente. Fico contente por ler mais um texto deste meu "chefe de equipa". No entanto fiquei muito desapontado por não ter acompanhado até ao fim os BiKeNatuRaS visto que adoro pêras e não pataniscas.