Passeio á Povoa para ver as sereias.

Próxima saída domingo 26 de março pelas 8,30 na Paluse,

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013


O EMPENO PRESIDENCIAL

Após um breve período de hibernação provocado, ora por alguma maleita, ora por que as condições climatéricas desfavoráveis registadas não o permitiam, lá regressaram as nossas saídas domingueiras.
 

Confesso que tive uma agradável surpresa ao verificar que o grosso do pelotão tinha aumentado.
 
 

É verdade, da primeira vez o Mister trousse consigo o jovem Nuno e o tenor angariou mais dois elementos: o Armindo Sá, ao qual lhe foi atribuído o cognome de Mandarilo e o Manuel, com o nome de guerra de Pirata dos Trilhos. Ambos menos jovens mas com muita garra e força nas “canetas”. E, pelo que deram a mostrar revelaram-se bem capazes de poderem ingressar em pleno nos Bikenaturas – proposta a fazer, certamente, na próxima Assembleia geral, haja quórum para isso. (não me levem muito a sério).
 

No primeiro domingo o nosso batedor começou por nos levar a recordar alguns trilhos por nós baptizados inseridos na Rota do Esquilo. Percursos mais ou menos suaves, pois tinha que testar as capacidades dos novatos. A manhã passou-se com boa disposição, muita alegria e claro algum cansaço.
 

Este domingo, rumamos em direcção às terras de Burgães pelo trilho da foz do rio Vizela até à estrada nº.105 que nos deu acesso a calcorrear um caminho estreito e acidentado em direção aos socalcos das encostas dos montes de Rebordões e Burgães.
 
Alguém lembrou uma visita ao rio Leça mas todos sabemos que o nosso batedor não resiste à tentação da descoberta de um trilho novo e perde-se nas incursões alheias.

 



A direcção era a Sul e com mais algumas pedaladas estávamos em Refojos de Riba d ‘Ave onde demonstramos a nossa capacidade de pedalar na lama sem qualquer tipo de queda e que nos abriu o apetite para o habitual reforço calórico.
 
Atravessamos novamente a estrada nº. 105 em Lamelas onde percorremos alguns caminhos e trilhos que para mim se revelaram muito desgastantes mas que deu para chegar a Santa Cristina do Couto onde recuperamos algum fôlego.
A intenção era regressarmos passando pelo parque da Rabada pelo trilho adjacente á margem esquerda do Rio Ave por nós já sobejamente conhecido.
 
 
Contudo, no final deste trilho, quase a chegar a Caniços, deu para apreciar e notar o quanto o ambiente está transformado ao contemplarmos um bando de gaivotas a flutuar no rio Ave e empoleiradas no telhado duma casa semi-submersa.
 
Já na parte final reparei que o nosso Tenor vinha um bocado intrigado, acabando por me confessar não compreender como é que os novatos ainda não tinham furado. “ Pois é Tenor, o tempo esvai-se e as tuas qualidades esotéricas deixam de surtir efeito (pelo menos a quem elas são supostamente dirigidas), pois o único a ser atingida por elas foi o Mister”. Também é normal que tanto o Mandarilo como o Pirata dos Trilhos não de deixem intimidar por essas coisas do além.
Porém, foi na subida mais longa deste que percebi que estava a levar o empeno de todo o tamanho ao ponto de ter que ser rebocado pelo nosso Mister, ainda que por breves momentos, na subida de Caniços.     [OBRIGADO MISTER!!!!.]
Ao escrever este relato lembro com saudade a necessidade que temos do nosso Skriba, dos conhecimentos do nosso Querqus e dos debates acérrimos e brejeiros que mantinha com o Ninja e que bom seria disfrutarmos novamente das suas companhias nas manhãs de domingo.
Aqui fica o apelo.
                                                                                                                             El Presidente
 
 
Clique para ver álbum completo.


 https://picasaweb.google.com/101714604101552715873/25DeFevereiroDe2013?authuser=0&authkey=Gv1sRgCOyRrcnXgcixDg&feat=directlink

 

1 comentário:

Belcoe disse...

Já tive o privilégio de ver uma queda presidencial... um mergulho presidencial... e não tive a sorte de ver o meu presidente a empenar...empenar, sim mas não quebrar...Eis a fina flor dos BiKeNaTuRaS! Avé El Presidente!