Passeio á Povoa para ver as sereias.

Próxima saída domingo 6 de agosto pelas 8 na Paluse

domingo, 18 de outubro de 2009

ROTA DAS MAMOAS


Há dias em que os imprevistos começam bem cedo…Digo isto porque tudo começou com uma mensagem às 02h38 do Pedro (incauto e futuro empenado) a dizer que devido a um imprevisto de última hora impedia-o de nos honrar do seu EMPENO. Mas nós os DUROS do costume, tirando o Duro da Garganta eo Duro do colchão , lá chegamos cheios de força e de frio à sede. Após o pequeno briefing decidimos rumar pelos quintais habituais até à sede do nosso Concelho. Mas como sempre, esse itinerário sofreu desde o início algumas muitas alterações. O primeiro surgiu logo em Ruivães onde era suposto irmos pelo caminho do esquilo mas tomamos a direcção de Castelões onde fomos através campo, levados pelo cheiro das castanhas alheias.Esta descoberta ficou registada no nosso GPS (retina) para quando os nossos Tenor e Quercus Man regressarem ter o privilégio de pisar os nossos rodados.

Chegados a Vermoim viramos para Famalicão e já na nacional o nossso JC Superstar quis nos presentear com o aroma de uma ex-padaria…mas este Senhor tinha algo bem pior na mente (também confesso a “meã culpa”)…nada mais, nada menos que a ideia de visitar o Castelo da Quinta…até aí é que foi sofrer, sofrer e sofrer…mas como os presentes eram os melhores do grupo lá chegamos ao cimo com a satisfação da penitência cumprida. Quem não conhece esse lado do monte aconselho vivamente esse esforço e verão que vale a pena. Subimos tanto que o nosso Presidente suspirou “ chegamos ao Sol!”.

Como astronautas perdidos andamos à deriva numa vinha bem linda e florida e que na altura dos “c****** de galos” valerá a pena revisitar…esperemos que nessa altura não apareçam os dos caninos heheheheh…
Mas sempre lá encontramos o buraco negro que deu num prado florido onde pedalar é como rolar em terra mole. Chegámos a um bosque onde existia uma estrada em paralelo muito desgastada e quase terrosa.
O grupo aventureiro ficou atónito pela beleza esverdeada do local e sobretudo pela deslumbrante árvore que aí reinava.
Continuando a nossa marcha bucólica deparamo-nos com algo de inesperado…Mamoas! O que é isso? Não sabem? Então sigam este link http://pt.wikipedia.org/wiki/Mamoa ... Mas como bons bttistas que somos lá nos debruçamos sobre essas ruínas.
Não só cultivamos o nosso ego como também foi o local escolhido para o tão desejado lanche. Barriguinhas cheias prosseguimos a nossa passeata. Chegamos a pedreira e então seguiu-se a primeira descida digna desse nome.
Como sempre cheguei primeiro e aí houve quem dissesse “ Esta parte foi a mais cansativa…”ou coisa parecida…Este é mesmo DURO…hehehehehehe… Gostei!
Enfim !desde a Portela até Telhado foi sempre a deslizar. Daí até a Famalicão o nosso “Wolf Solitário” imprimiu um ritmo digno do nosso Quercus Man ou até mesmo do Tenor. É estranho não é? Que quando apontamos para Famalicão o ritmo acelere…será que é para chegar primeiro à esplanada? Por isto ou por aquilo soube tão bem sentar o “cagueiro” numa cadeira e apreciar o café e as jovens donzelas sexagenária que por ali pousavam.
O Scriba
Fotos: Scriba e Batedor


48 kms em 3h36m

MAIS FOTOS AQUI:

2 comentários:

josecarlossousa disse...

Boas companheiros.

BOM DIA PARA ESTAR EM CASA..
MAU DIA PARA ANDAR DE BIKE ..
QUEM FOI SABADO DELICIOU-SE ..
QUEM ESPEROU PARA HOJE ABORRECEU-SE..

ABRAÇOS

.........lol ........lol .......lol

BiKnaTuRa disse...

Concordo contigo.
Não sabia que tinhas dotes de poeta!
Estou ansioso para te ver escrever algumas das nossas aventuras.

Abraço.