Passeio á Povoa para ver as sereias.

Próxima saída sabado 29 de Abril. Convivio anual dos Bikenaturas em Pampilhosa da Serra.

sábado, 12 de março de 2011

MIRAGEM DE PITÕES DE JÚNIAS MAS COM REAL COZIDO E POSTA

   Montalegre é, para nós, sinónimo de cozido suculento e não só. Por isso como os BiKeNatuRaS, são movidos  pelo instinto gastronómico,  lá foram impelidos, pela segunda vez , para área "protegida" da gostosa carne barrosã. 
   A grande novidade neste passeio foi sem dúvida a participação dos novos BiKeNaTuRaS...o Riones e o Marcamano que se defenderam muito bem ao longo das subidas conquistadas.


   Antes de chegar a Montalegre passámos pelo restaurante "Pinto" para reservar o repasto e tomar a bica da praxe. 
   Chegámos a Montalegre pelas 9h40 onde deixámos os veículos e montámos as nossas "burras" em direcção a Pitões de Júnias.



   Descemos em direcção à Avenida da Marginal do Cávado onde apontámos as biclas para Donões através de um estradão enlameado e por vezes "imbiclavél".


   Tivemos o privilégio de "cumprimentar"  cavalos e um asínino envergonhado que por aí descansavam.

  Doucement... chegámos a Donões onde podemos admirar as suas casas, ruas e até alminhas típicas desta região.

   Depois desta diminuta paragem encetámos uma curta mas ameaçadora descida até à freguesia de Sabuzedo. Aqui encontrámos novamente as casas em pedra, as estradas construídas com "calhaus" e o musgo sarapintando as fachadas e escadas dos ditos lares. 

   Deixando esta aldeia típica iniciámos uma longa subida íngreme com quase 5 quilómetros. Após um início em alcatrão a subida foi composta de terra, calhaus, areia e lama. Ao longo da subida tivemos como companhia o nevoeira e em algumas partes uma chuva miudinha que se tornou irritante. Estes momentos fizeram-nos recordar o dia terrível passado em Jales ( A lama que se tornou ouro). O panorama apesar do contratempo meteorológico deixava adivinhar algo de fascinante  para os olhos. 

   Infelizmente deparamos-nos com algo que pensávamos impossível para esta altura do ano...Incêndios! É verdade! Vimos extensas áreas negras e ainda fumegantes.

   E foi a partir daqui que o "desnorte" começou... Sim porque em vez de virarmos à esquerda seguimos em frente o que nos levaria ao oposto a Pitões de Júnias...E além de irmos em sentido contrário penámos ao longo de alguns quilómetros bem rudes. No entanto a paisagem era deslumbrante...


   Embora perdidos o lanche não deixou de aparecer... 

   E também para as "burras"...

   Aviado o lanche retomámos a biclada pelo monte acima. o Ninja ainda exortou os BiKeNaTuRaS a desencalhar a "Excalibur" mas nenhum  "biclaleiro" é descendente do rei Artur por isso ficou ali a espera do seu dono...

   Continuámos monte acima até chegarmos à última grande decisão, claro que não sabiamos que iria ser tão preponderante para o desfecho do passeio, que foi decidir se rumávamos em frente ou à direita...Após ter reunido o Conselho BiKeNaTuRas a última hipótese foi a escolhida... ERRO GRAVE! mas quem não erra?... Nesse local podemos constatar, pelo marco, que estávamos na raia fronteiriça. 

   Montadas as "burras" lá retomámos o caminho sempre acompanhados pela chuva e o nevoeiro que não nos queriam largar. No entanto o trilho era mais suave e de uma beleza fotográfica.

    E chegámos tão alto ( +/ 1300 m) que ainda havia vestígios de neves... El Presidente chateado por não ter deixado espaço para a sua " burra" abordou as presentes com toda a magnificência... mas sempre com um sorriso.  Parabéns El Presidente!  há que fazer sentir aos vassalos que o respeito é muito bonito...  

   Terminado este episódio iniciámos uma pequena descida que nos levou a mais uma duvida sobre o rumo a seguir. A nossa sorte foi encontrar um jipe cujo ocupantes indicaram-nos o caminho a seguir e ficámos a saber que de facto estávamos no lado oposto a Pitões de Junias.

   A boa nova foi, pelo menos, que era sempre a descer até Montalegre. E lá fomos empurrados pela descida até à freguesia de Padroso onde pudemos apreciar esta bela aldeia.

   Serviu esta aldeia para tirar a foto de "família" e de nos prazentear com a passagem da "carne barrosã ".

     Daí até Montalegre foi um "tirinho" . Já na cidade encontrámos uma bicla bem peculiar...

   E assim estava concluída a 1ª parte desta jornada.

   Depois de termos feito da carrinha um vestuário ambulante dirigimo-nos para a segunda etapa que era tão desejada como a primeira...COMER!!!
   Chegámos ao restaurante Pinto onde nos esperava um ágape já bem conhecido dos BiKeNaTuRaS. No entanto o que é bom tem de ser louvado mas o que é mau também tem de ser denunciado. Deste modo a única nota negativa do repasto residiu no primeiro vinho servido que era de muito má qualidade. Contudo esta contrariedade foi de pronto resolvida pelo patrão do estabelecimento.
   O almoço foi, como sempre, divertido e copioso em todos os sentidos. Os BiKeNaTuRaS "ancestrais" apreciaram  os Neo-BiKeNaTuRaS que denotaram a aptidão primordial para pertencerem aos BiKeNaTuRas...serem uns excelentes "garfos".


    Findo esta segunda etapa e depois de alguns BiKeNaTuRaS deitar fumo (praxe?) iniciámos a derradeira com uma visita ao castelo de Montalegre. Infelizmente a chuva contrariou este desejo e seguimos para Pitões de Júnias utilizando a EN 308.

   Já em Pitões de Júnias deleitámo-nos com as suas casas, ruelas e paisagens típicas da região. O bom humor estava bem patente nos rostos dos BiKeNaTuRaS que gozaram estes momentos inolvidáveis.

   Tomámos uma bica e jogámos matraquilhos na "Casa do Preto"  onde éramos os únicos clientes.

   Para terminar fica esta foto...

   E pronto! Cheguei ao termo de mais um relato onde as peripécias deste dia ficarão nos cérebros dos BiKeNaTuRas para muitos e muitos anos...

   Resta-me dirigir algumas palavras ao nosso estímado Querkus que se encontrava enfermo e não pôde participar neste passeio. A tua ausência foi relembrada várias vezes devido à tua boa disposição e pelos teus comentários sábios sobre a flora.
O Skriba
Foram "barrosados" 24 km.

Os BiKeNaTuRaS:
 ,  ,, e 



Prefil de altitude (altimetria) Elevação: 1039 m @ 16.7 km (3409 ft @ 10.4 mi)






  






4 comentários:

BiKeNaTuRaS disse...

É sempre com muito gosto que leio os teus relatos. Fazem-me lmbrar os bom momentos que passamos e reavivam a memória de certos locais e paisagens que já não tinhamos muito presentes. Estou a pensar, por exemplo,de uma bruma de montanha que quase nos cegava por completo, situação pela qual os BiKeNaTuRaS, que eu me recorde, ainda não tinham passado e de nuvens densas de chuva que conseguimos fotografar dum ponto mais elevado.
Concordo contigo em relação ao Querqus. Na verdade, já há muito tempo que sentimos a sua falta para a análise das diversas espécies, em especial, as ornitológicas, que vamos encontrando nas nossas digressões.
Parabens pela narrativa.

Luís Rios disse...

Simplesmente Espectacular, esta foto-reportagem da nossa ida a Montalegre. Parabéns!
Foi um dia excelente que passei com os BiKeNaTuRaS, adorei!
Pena o tempo que não ajudou muito, mas isso ainda não conseguimos controlar. (^=^)

Cumprimentos,
Riones

Belcoe disse...

Caros colegas BiKeNaTuRas agradeço os vossos comentários elogiosos. Há coisas engraçadas! Este relato foi sem dúvida, para mim, o que menos me empenhei. No entanto, salvo erro, foi o primeiro em que fui elogiado por elementos dos biKeNaTuRaS...Bem! isto poderá ter duas interpretações: a primeira é que de facto tenho de escrever "menos e melhor"; a segunda prender-se-à, talvez, ao facto dos BiKeNaTuRaS se aperceberem que o Skriba estava em "baixo". De quakquer forma muito obrigado amigos pelo vosso apoio.
Skriba

Tenor disse...

Caro Scriba.
Todas as palvras elogiosas não chegam para descrever a tua disponibilidade em relação aos Bikenaturas.
Este último passeio a Montalegre está (como os anteriores),muito bem relatado, com sabedoria e é, com muito orgulho que convido os meus amigos a verem este espaço onde tu és com toda a justiça o principal mentor.
Abraço.
TENOR